segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

MEU ENCONTRO COM A LEITURA
   No primário tinha uma professora chamada Léa, era baixinha, usava óculos e gostava de contar histórias, essas histórias povoaram minhas memórias por muito tempo; creio que meu gosto por ler nasceu dessa contação de histórias que na época grafava como estórias.
   Então fui para o ginasial, no Coração de Jesus, a princípio era muito tímida, quase não falava com ninguém, mas como tinha minhas primas que estudavam na mesma sala, facilitou muito o convívio com os colegas, e fui apresentada ao basquetebol, através da minha professora de Educação física que percebendo minhas habilidades encaminhou-me para o time do Colégio, no qual comecei a competir em jogos.
    Foi nessa época que as meninas liam e comentavam os livros eu ficava sem saber do assunto, pois não lia livros fora da escola, somente aqueles obrigatórios. Comecei a ler aqueles livros de bolso sobre princesas, amor não correspondido, lembro-me que o amor sempre vencia.
   Na Escola Técnica Federal de Mato Grosso, deparei-me com outra realidade, o nível era bem mais forte, afinal ensino técnico, matriculei-me em estrada e fui escalada para handball e basquetebol, e imaginem o livro que fazia maior sucesso com a garotada era “O Pequeno príncipe”, e as  últimas folhas do caderno eram forradas com os pensamentos do livro, “Você é responsável por aquilo que cativas”. Depois Fernão Capelo Gaivota, “Vê mais longe, a Gaivota que voa mais alto”. Deparei-me então com o teatro, um curso oferecido para os estudantes da escola e toda comunidade, foi paixão à primeira aula, nunca mais sai, eu admirava a professora falar sobre museus, canções da MPB que eu nunca ouvi, artistas plásticos, e o que é o teatro. Daí para frente nunca mais parei.
  Depois a Universidade, fiz economia, livros,  só Kant, Marx, revista conjuntura econômica,  e outras do ramo, mas nessa época as palavras coçavam meus pensamentos queria muito mais.
  Após dois anos  de formada e trabalhando como economista, resolvi fazer vestibular para letras e apaixonei pelo curso, estava mais perto do teatro que foi e sempre será meu grande inspirador, a cultura tomava meu corpo, meu pensamento, foi quando conheci José de Alencar, Aloísio de Azevedo, Fagundes Varella, Machado de Assis, Fernando Pessoa, Guimarães Rosa, Florbela Espanca, Cora Coralina, Clarice Lispector, Cecília Meirelles e tantos outros.
   Mas o que me intriga é meu primeiro livro, se é que foi o primeiro, só lembro que tem uma Tulipa Negra em uma janela, crio que é espera do amor, não sei. Ficou essa imagem de uma história que talvez eu tenha lido, não sei. E também nunca fui atrás para saber a veracidade disso. E se  eu for?  medo do encontro?  Como vou reagir à leitura?  Deixa disso.

(Claudete Jaudy- jun/2013)

Nenhum comentário:

Postar um comentário